CONQUISTAS E FUGAS

monumentodescobrimento-baixa

Lisboa. Portugal. Fevereiro de 2017.

O gordinho sai correndo com a coroa na cabeça e todos sabem que é só um um ator mentindo. O rio é tão largo que parece mar, a borda é uma reta tão longa que parece até perto chegar lá no horizonte. É preciso ficar algum tempo olhando as pedras até que elas comecem a se mover. Há uma vertigem ao lado do monumento, uma vontade de se jogar ao mar e partir, mas a cidade continua pedindo Não partam! Não partam! A aventura os levará para longe mas a saudade os trará de volta!

A.C.M.

facebook.com/calimanviajando

POR UM PRATO DE BARREADO

Barreado-cor-p

Serra do Mar, Paraná. Brasil. Novembro de 2012.

A gente desce na chuva mesmo, as pedras escorregam como sabão, a floresta deixa tudo sempre tão úmido. A mochila parece pesar, mas aqueles tropeiros sobem e descem, as mulas sabem onde pisar. Desde lá do porto, levam tudo o que se pode querer nas cidades lá em cima. Sente o cheiro dessa comida! Não é tão bonito de ver, uma maçaroca, e o nome ficou quase uma tiração de sarro, mas como é bom esse Barreado! E essa montanha dá uma fome. Tá bom, troco um desenho por um pratão desses!

A.C.M.

FACEBOOK

facebook.com/calimanviajando