“DOIS BRAVOS E UM VELHO”

velho-bravos-caliman-p

Angoulême. França. Março de 2015.

Esses altões de bota preta acham que podem chegar aqui e arrasar com tudo? diz o velho antes de agarrar um rifle caído no chão, manchado de sangue. Nenhum soldado se opõe. Esse velho atira bem pra cacete!, diz um deles enquanto vê o outro sendo atingido. A gente morre, mas liberta esse pedaço de chão! A gente costumava jogar cartas aqui nessa praça. Olha! Olha! Os aviões estão chegando, tomara que tenham misericórdia dessa cidade mas, ouça bem, a gente reconstrói tudo, mon ami, pedra por pedra!

A.C.M.

Anúncios

“O FESTIVAL DE NANQUIM”

angou-pers-cor-p

Angoulême. França. Janeiro de 2015.

Os gatos perdidos ficam malucos com tanta intromissão. É frio nas ruas e quente nas tendas apinhadas de gente, as páginas cheias de nanquim são folhadas por dedos vindos de todos os lugares. Lucky Luke quase saca sua pistola quando vê aquela imitação de Obelix emagrecendo longe dos queijos e dos vinhos. A Valentina tenta chamar atenção, desafiando o frio, mas o Corto Maltese está sempre ansioso para dar o fora no primeiro veleiro e Hergé não cansa de procuras o Tin Tin na multidão.

A.C.M.